domingo, 29 de maio de 2011

Volta, amigo!


Sabes uma coisa? Acho que nunca to disse, mas agora considero-te um inimigo, um impasse na minha vida. Não porque me tenhas feito muito mal, ou tenhas feito propositadamente alguma coisa para me magoar, mas porque já foste o meu espelho, já foste a água límpida em quem um dia me vi reflectida, e sendo assim, sabes todos os meus espectros, todas as minhas fraquezas. És das pessoas que mais sabe de mim, das pessoas a quem mais coisas confiei, sabes-me de cor, e conheces cada traço meu. E o que dói não é saberes cada uma das minhas frustrações, o que dói não é saberes o motivo pelo qual posso verter uma lágrima… o que dói é olhar para todo o lado, procurar em cada canto e não te encontrar, não te ter aqui para me dares um abraço… O que dói é ver toda esta tua ausência que pelos vistos e completamente contra a minha vontade, parece que veio para ficar. Não vou fazer mais nada, não vou implorar para que fiques, nem gritar quando me virares a cara, simplesmente te dou deixar ir, e esperar que antes do fim do caminho, te arrependas e retrocedas para dizeres que queres ficar . E só nesse momento te responderei "de novo bem-vindo à minha alucinante vida!"

Sem comentários: