segunda-feira, 27 de junho de 2011

Viver com excesso de velocidade

Pois por vezes sou mesmo assim, como uma rajada de vento que passa e leva tudo à sua frente sem piedade. Pois por vezes sou assim como um leão e dou uso à minha garra, à minha funesta força, e luto, luto contra tudo e contra todos, sem dar ouvidos a quem me desacredita. Pois por vezes sou mesmo assim eufórica e revirada, completamente desnorteada, destemida e sem qualquer noção de “risco”. E assim, e apenas assim sou feliz. Para mim não há limites, e na estrada dos sonhos posso andar como bem entender, posso desafiar as regras e ultrapassar qualquer imposição. Estranha? Talvez seja, mas não importa, não me importo, pois é aí que está a essência do meu ser, a essência da minha gloriosa vida (…) Desistir? Só nos momentos de fragilidade vou fazê-lo, mas temporário, muito temporário, pois já aprendi a reconstruir forças, por vezes sozinha, mas sempre com a mesma determinação. E sou mesmo assim, acrescento dois segundos a cada um que passa na minha vida, não gosto de andar, gosto de correr; não gosto de falar baixinho com medo que me ouçam ; gosto de gritar firmemente para terem a certeza que tudo o que digo é verdade; eu não durmo; eu sonho, e sonho bem alto, sem olhar para baixo, sem medo de cair. Se cair? Levanto-me, com a mesma certeza do início, com a mesma sede de ser feliz, com a mesma vontade de ir avante. Resumindo e concluindo: Sou muito feliz, e gosto de recuperar as perdas de tempo que a vida me causou, e por isso, e apenas por isso, dou tanta intensidade ao verbo “sonhar”. E somente desta forma conseguirei o meu objectivo -  “Falar sem aspas, amar sem interrogação, sonhar com reticências, viver e ponto final.

3 comentários:

Lábios de Caprichos disse...

Passei ao acaso e adorei! *

Tulipinha disse...

Texto fantástico! Continua sempre, sempre com essa forca, essa paixão pela vida e por tudo o que te rodeia.
Um beijo holandês...

disse...

gosto muito, a música também é linda :^)