domingo, 3 de julho de 2011

Talvez (um dia)!

Um dia sussurrar-te-ei de novo ao ouvido tudo o que és para mim, todo o teu significado. Um dia entregarei de novo o meu mundo em tuas mãos, e esperarei que faças dele o que quiseres. Um dia arrisco de novo por ti, só para te ter um dia, um momento para mim, só para mim. Um dia lembrar-me-ei novamente de ti, e reconstruirei cada traço, pormenor da nossa história. Um dia adormecerei de novo contigo no pensamento, sonharei contigo, e acordarei com uma lágrima por tudo não passar de um sonho. Um dia prometo, eu prometo que de novo cairei no sono em teus braços, e que voltarei a percorrer a tua vida sem pedir, sem me dares licença. Sei que um dia te vou de novo decifrar e descobrir-te quando menos esperas. Sim, um dia voltarás a ser a força sonante que me move, o meu motivo para ir mais além. Nesse dia vais aprender a valorizar-me, a depositar em mim o teu coração, vais aprender a ligar cada melodia à minha voz, cada flor à minha presença, cada brisa ao meu braço quando te puxava para mim. Aí, nesse dia vais aprender a associar a chuva aos “sermões” que te dava por fazeres alguma coisa que não era do meu agrado, mas mais importante que tudo isso, nesse momento, somente nesse dia, irás ver que aquela imagem que o teu espelho reflecte sou eu, aquela intuição que tens dentro de ti, dentro do teu pensamento, sou eu, a voz da razão que sempre te tentou encaminhar ao teu bem, à tua felicidade…Sabes porquê que será apenas um dia e não agora?? Porque (um dia) é a forma mais simpática, a melhor forma de te fizer NUNCA, de te dizer nunca mais, de te dizer para me esqueceres e enterrares bem fundo a nossa amizade!

Sem comentários: