sábado, 27 de agosto de 2011

Sê feliz, é todo o mal que te desejo!

A verdade é que já não escrevia de ti há muito tempo. Lembro-me perfeitamente daquelas vezes em que queria dizer tudo e não dizia nada; daquelas vezes em que senti necessidade de te ser o mais sincera possível, mas não podia, não dava… Lembro-me também de todas aquelas vezes em que pegava numa caneta e escrevia frases soltas, sem sentido; frases que ninguém entenderia. Hoje escrevo, escrevo para ti de novo, mas desta vez é diferente; desta vez é muito diferente. Sinceramente, acho que há coisas que ficaram por dizer, e é isso exactamente que pretendo fazer neste texto. Acredites ou não, a verdade é que consegui. Acredites ou não, a verdade é que eu sinto-me mais que preparada para finalmente seguir com a minha vida para a frente e, acredites ou não, a verdade é que tu já não me dizes nada, já não provocas nada em mim para além de indiferença. Hoje eu sei que se passar por ti não vais “mexer comigo” como sempre o fizeste, hoje sei e tenho plena consciência que já não alteras nenhum estado meu. Fui superior, não te pedi nada, não mais lutei, nem mais tentei… Fui eu, sozinha, sem te pedir nada, apenas eu quem de novo reconstruiu a minha felicidade e não, eu não preciso mesmo de ti para nada, para nada. Quero ainda que saibas que não te guardo rancor nem qualquer tipo de ressentimento. Não te desejo mal nenhum, nem olho para trás com pena; e se queres mesmo que te diga não, eu não me arrependo de nada. Apenas se fosse hoje? Não voltaria a fazer metade do que fiz por ti, mas isso não quer dizer que me arrependa, apenas mostra o quanto cresci, o quanto agora aprendi, o quanto agora sei… E por isso obrigado, do fundo do coração, obrigado. Hoje sou outra mulher, hoje sou alguém que sabe perfeitamente que pode ultrapassar qualquer dor, qualquer barreira que possa aparecer. E nada mais te digo, nada mais te falo, nada mais será destino teu. Agora sinto que tudo o que estava em falta está dito. E finalmente eu posso dizer que és zero à esquerda para mim, não me dizes absolutamente NADA.

Sê feliz, que eu também sou!
 E sim, é a maior verdade de mim!

Sem comentários: